3 passos básicos para perder peso

 

Se você já tentou perder peso alguma vez na vida, já deve ter se deparado com estas dificuldades. Quantas vezes já iniciou uma dieta e acabou se frustrando com a demora em atingir os resultados esperados? Nos primeiros dias ia tudo bem, até que você se irritou com algum colega de trabalho, e aliviou sua frustração na comida. Ou achou que era injusto seus amigos comerem de tudo, e você não poder comer como eles. Ou talvez você tenha seguido as regras da sua dieta corretamente, até que saiu de férias e perdeu a rotina de cuidados.

 O cuidado com a alimentação é muito importante na perda de peso, e a manutenção deste comportamento também. Mas você acredita se eu lhe disser que não é apenas o que você come, que deve mudar para que você possa perder peso?

Função da alimentação

A principal mudança no processo de perda de peso é a forma como nos relacionamos com a comida. Você já pensou que o que escolhemos comer pode estar relacionado com a maneira como nos sentimos? Em momentos de tristeza já atacou aquela barra de chocolate? Antes de cada refeição você pensa a respeito do que está ingerindo? Pense um pouco sobre a função que a alimentação tem na sua vida.

A função da alimentação é a de nutrir, sustentar e dar energia ao nosso corpo, porém muitas vezes acabamos comendo em busca de prazer ou alívio da frustação, isto pode acontecer quando as outras situações na nossa vida não estão nos deixando feliz. Culturalmente a alimentação está vinculada ao prazer, quando saímos para nos divertir com amigos é raro não haver comida envolvida.

O nosso organismo funciona como um todo, então quando nos sentimos tristes ou irritados é natural querermos compensar comendo alguma coisa gostosa. Neste caso o alimento tem a função de nos confortar, de fazer com que nos sintamos melhor. O que deve ser observado é a frequência com que isto acontece. Se em muitos momentos durante o dia você se sente angustiado, triste ou estressado é provável que seu problema seja mais emocional do que alimentar, existem muitas maneiras de se sentir melhor em relação as frustrações emocionais, que não envolvem a comida. Uma estratégia, que vai inclusive ajudar na perda de peso, é a prática de exercício físico, que trabalha no corpo e no funcionamento cerebral, produzindo substâncias químicas no cérebro que ajudam na sensação de satisfação e no bom humor. Manter a rotina de sono em dia também é recomendado.

Como você come?

O que será que você está fazendo com a sua alimentação, que não está resultando no corpo que você gostaria? Muitas vezes podemos nos alimentar mal devido à correria do dia a dia, comer muito fast food por causa da praticidade, não ter tempo ou disposição para organizar as refeições. Isto faz com que não prestemos atenção no que estamos ingerindo, comer rápido e não mastigar os alimentos é ruim para o organismo, faz também com que a gente coma mais do que o organismo precisa para saciar a fome.

Uma maneira mais funcional de nos alimentarmos é comer devagar, prestar atenção no alimento, na sua textura e gosto, saborear cada garfada e poder estar em um ambiente calmo e agradável, faz toda a diferença na quantidade e qualidade do alimento que se ingere. Se você gostar, se envolva no processo de preparar o alimento, de saber sobre suas propriedades nutricionais, se pergunte da onde ele vem e como foi cultivado. E por favor desligue a televisão enquanto come, comer na frente da TV vai fazer com que coma sem pensar, ingerindo mais quantidade com menos qualidade.

O poder dos Pensamentos

Falando sobre os pensamentos, eles são os principais responsáveis pelo que comemos, na verdade por tudo que fazemos.  Os pensamentos podem atrapalhar bastante quando se trata de comer menos e melhor. Isto porque os comportamentos são resultado dos sentimentos, que são resultados dos pensamentos. A sequência é a seguinte: Pensamos algo, logo temos um sentimento vinculado a este pensamento, e em seguida nos comportamos, de acordo com o que sentimos e pensamos. Este é o modelo cognitivo estudado por Aaron Beck na década de 1960, criador da Terapia Cognitivo Comportamental. Quando aprendemos a avaliar nossos pensamentos de uma forma mais realista e adaptada obtemos uma melhora no nosso estado emocional e no nosso comportamento.

Vou dar um exemplo, quando você estiver enfrentando um momento difícil na busca por suas metas rumo à perda de peso, os pensamentos “sabotadores” estarão lá, lhe dizendo coisas como “você não vai conseguir”, “você já tentou antes e falhou, você não é capaz” ou “se você comer só este docinho não tem problema”. Primeira lição, não acredite em tudo que você pensa, não é porque você pensou, que uma coisa é verdade, estes podem ser seus pensamentos disfuncionais falando. Na terapia estes pensamentos são trabalhados, questionados e substituídos por pensamentos mais funcionais, mais flexíveis e mais adaptados para que o comportamento resultante deles seja saudável.

No processo de emagrecimento é importante aprender habilidades para perder peso, conversar com seu terapeuta, ler matérias a respeito, estabelecer metas e objetivos realizáveis, fazer planos realistas de alimentação, praticar, se frustrar, praticar mais um pouco, se motivar com a roupa que começa a ficar mais larga, se frustrar de novo com a mesa de doces daquela festa infantil, se empolgar com a nova rotina de exercícios, e assim por diante. O que importa mesmo é a atitude mental que temos diante das dificuldades que surgem, os pensamentos estarão o tempo todo conosco, a maneira como nos relacionamos com eles é o que importa.

No momento que você aprende a lidar com os seus pensamentos sabotadores, com suas respostas emocionais e com possíveis oscilações de humor, você conseguirá controlar seus comportamentos alimentares. E não só isto, conseguirá também atingir uma melhora, não só na maneira como você se alimenta, mas na sua qualidade de vida, no modo como você se relaciona com o seu próprio corpo, com as pessoas ao seu redor, com as situações estressantes do dia a dia e consigo mesmo.

O objetivo final não é só perder peso, é a mudança para hábitos mais saudáveis, prática de atividades físicas, rotina de sono em dia, alimentação equilibrada, relacionamentos mais satisfatórios e produtividade no trabalho. Agora aproveite e diga para os seus pensamentos, que você é plenamente capaz de conseguir alcançar qualquer objetivo que se proponha.

Psicóloga Mônica Benedetti

CRP 07/23913

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s